Crosslinking para Ceratocone em Curitiba – Tudo o que você precisa saber

Crosslinking para Ceratocone

Apesar de ser uma técnica recente, o crosslinking para ceratocone já é utilizado na Europa há mais de uma década, e é o procedimento mais utilizado atualmente para o tratamento de ceratocone. Diversos estudos já foram realizados e publicados, comprovando a segurança e eficácia do procedimento.

crosslinking é um tratamento que visa aumentar a resistência e estabilidade da córnea, fortalecendo e unindo as fibras de colágeno — que são responsáveis pela sustentação da mesma. O procedimento visa desacelerar o desenvolvimento da doença, retardando ou até mesmo evitando um possível transplante de córnea.

Estatísticas apontam que o procedimento já foi realizado em mais meio milhão de portadores de ceratocone. O procedimento é minimamente invasivo e simples, com pouco tempo de duração (cerca de meia hora).  O paciente também não precisará ficar internado, nem ficar de repouso após realizar o crosslinking.

No ceratocone as  fibras de colágeno estão menos unidas, portanto  a córnea será mais frágil e propensa a deformações. O crosslinking visa aumentar as ligações de proteína da córnea, tornando-a mais rígida a nível molecular, proporcionando com isso uma estabilidade da progressão do ceratocone.

crosslinking para ceratocone

Como funciona o Crosslinking para Ceratocone

Segundo Dr. Artur Schmitt, especialista em ceratocone pela Universidade de Miami, EUA, o procedimento na aplicação de colírio a base de vitamina B (riboflavina), que é ativada por um feixe de luz ultravioleta especial, que visa contrair e unir as fibras de colágeno, proporcionando o fortalecimento da estrutura da córnea. Este procedimento minimizará as chances doceratocone continuar evoluindo, proporcionando ao paciente a estabilidade ( não evolução) do ceratocone.

O Dr. Artur Schmitt explica ainda que, após o procedimento, com o aumento da resistência da córnea, a elasticidade corneana diminui, reduzindo as chances do desenvolvimento do abaulamento corneano, que é responsável por problemas como baixa visão e alto astigmatismo.

Quem pode se submeter ao Crosslinking de ceratocone?

Para se submeter ao procedimento é necessário uma avaliação com o oftalmologista. O procedimento costuma ser indicado para pacientes no estágio leve a moderado da doença, no entanto, estudos recentes apontam que o procedimento pode ser bastante eficaz em pacientes que estejam com a doença em estágios mais avançados.

Crosslinking para cerotocone dói?

Não. O paciente não sente dor forte durante o procedimento.

Pós operatório do crossliking

Após o procedimento o paciente poderá ir para casa.

Nas primeiras horas o olho poderá lacrimejar e ficar vermelho, porém, os sintomas desaparecem em pouco tempo.

O oftalmologista irá recomendar alguns cuidados ao paciente, entre eles: não coçar os olhos nos primeiros dias e utilizar alguns colírios que serão recomendados no consultório.

Crosslinking para Ceratocone em Curitiba

Dr. Artur Schmitt  foi um dos precursores de Crosslinking no Brasil e já beneficiou milhares de  pacientes portadores de Ceratocone com a técnica de Crosslinking. Dr. Artur Schmitt é especialista em Ceratocone pela Universidade de Miami, Mestre e Doutorado (PhD) pela UFPR. Dr. Artur Schmitt atende em Curitiba – PR.

Agendamento de consultas com Dr. Artur Schmitt:

Telefone: (41) 3075-2020
Telefone: (41) 3075-2018
Whatsapp: (41) 9.9269-1977

 



Deixe uma resposta

Cirurgia de Ceratocone em Curitiba