Informações importantes sobre Ceratocone que você precisa saber

Uma das principais causas do ceratocone é genética, ou seja, é hereditária.Pessoas com casos na família tem maiores chances de desenvolver a doença, porém, existem outras causas ainda desconhecidas. A principal caraterística da doença é a alteração anatômica da córnea, dando a ela um formato de cone, que prejudica significativamente a visão, reduzindo a capacidade visual do paciente. Essa patologia afeta uma em cada 2 mil pessoas em todo o Mundo. No Brasil temos aproximadamente 97 mil casos diagnosticados da doença, explica o Dr. Artur Schmitt.

Durante mais de 15 anos de experiência tratando pacientes com ceratocone, Dr. Artur Schmitt observou que muitas das dúvidas dos pacientes se repetem. Por isso, elaboramos este artigo com algumas das dúvidas mais frequentes de nossos pacientes.

Neste texto vamos mostrar a você questões importantes sobre o ceratocone a serem compreendidas, como o desenvolvimento da doença, formas de tratamento e outras questões.

Quais são os principais sintomas do Ceratocone?

O Ceratocone geralmente se manifesta durante a adolescência ou fase de adulto jovem. Inicialmente, a doença começa a afetar a visão do paciente para atividades simples como a leitura, trabalho com computador ou dirigir à noite. É importante que a doença seja diagnosticada precocemente para que o tratamento amenize os problemas de aprendizagem e qualidade de vida do jovem.

Os sintomas que se apresentam inicialmente são o embaçamento visual, imagens ofuscadas e em alguns casos, imagens duplicadas. Conforme a idade avança, outros sinais começam a aparecer, como a impossibilidade da leitura, por exemplo.

Ceratocone causa cegueira?

Esse é o principal medo e dúvida dos pacientes. Consultaram com um médico que informaram que o um dos  tratamentos seria  o transplante de córnea, outros tentaram a adaptação por lentes de contato, mas que não tiveram bons resultados, não se adaptaram ou tiveram uma adaptação muito ruim, queixas de desconforto e uma visão insatisfatória.

Nessas condições, a visão do paciente tende a piorar, causando o medo de que nada pode ser feito para recuperar a visão. Por isso, alguns pacientes optam por levar a doença adiante sem tratamento, ou continuam com lentes inadequadas e/ou mal adaptadas, podendo assim induzir a outros problemas oculares.

A verdade é que o ceratocone não deixa ninguém  totalmente cego. Existem várias alternativas de tratamento para paciente antes da opção do transplante de córnea.

Aqui temos as opções de tratamentos para ceratocone:

  • Óculos;
  • Lentes Hidrofílicas (Gelatinosas, Descartáveis, etc);
  • Lentes RGPs ou Rígidas Gás Permeáveis (a melhor opção quando feita com lentes boas e bem adaptadas);
  • Piggyback (lentes de contato rígidas sobre lentes gelatinosas descartáveis);
  • Lentes Esclerais ou SemiescleraisRGPs;
  • Implante de anéis intracorneanos ( realizada com laser e com excelente resultado na maioria  dos  casos);
  • CXL ou Crosslinking : procedimento para estabilizar a progressão do ceratocone;
  • Transplante de Córnea.

Se ainda assim o transplante de córnea for indicado no seu caso, os índices de sucesso desta cirurgia são maiores que 95%. O uso de lentes de contato ou óculos de grau poderá ser necessário para realizar a correção visual após o transplante de córnea.

Ceratocone vai progredir para sempre?

Dr. Artur Schmitt relata que outra dúvida comum dos pacientes é em relação ao desenvolvimento da doença. Dr. Artur relata que, em geral, a doença progride até os 25 – 30  anos de idade. Em apenas 5% dos casos a doença continua progredindo após esta idade.

Eu posso, de alguma forma, contribuir para desacelerar a doença?

O próprio paciente pode contribuir para desacelerar a progressão do ceratocone, evitando coçar os olhos.  O ato de coçar os olhos é muito comum em quem tem a doença, a maior parte dos portadores de ceratocone são alérgicos e os olhos costumam coçar por conta da alergia, como a coceira é muito frequente acaba provocando danos a córnea e potencializando o ceratocone.

É importante tratar corretamente as alergias associadas ao ceratocone, prevenindo assim o hábito de coçar os olhos. Este costume gera  maior desgaste das fibras de colágeno, enfraquecendo a córnea e afinando-a ainda mais, isso faz com que a irregularidade do cone aumente.

Dr. Artur Schmitt explica ainda que uma das formas para desacelerar a progressão da doença é através da técnica de Crosslinking, que é feita através da aplicação de luz ultravioleta e riboflavina.  O procedimento é um dos mais utilizados para tratar a doença e impedir o seu avanço.

Já tenho ceratocone há alguns anos. Posso fazer o implante de anel de Ferrara?

Em geral, o tratamento para o ceratocone é feito através da utilização de lentes de contato rígidas. Em alguns casos, com o passar do tempo, o paciente pode adquirir intolerância às lentes de contato. Nestes casos, duas medidas costumam ser adotadas: o transplante de córnea ou o implante de anel de Ferrara (implante de anel na córnea). Os resultados do anel de Ferrara são muito satisfatórios. A decisão entre o transplante de córnea e implante do anel na córnea vai depender da análise do oftalmologista.

Eu tenho ceratocone. Vou precisar realizar o transplante de córnea?

Os casos que irão precisar de transplante de córnea são menores que 5%, se tratados corretamente. Atualmente o número de transplantes de córnea vem diminuindo devido ao procedimento de crosslinking que estabiliza a progressão do ceratocone, evitando com isso a perda de acuidade visual progressiva que levaria o paciente ao transplante de córnea .

Cirurgia para Ceratocone em Curitiba

Para saber mais sobre ceratocone, agende uma consulta com o Dr Artur Schmitt, especialista em ceratocone pela Universidade de Miami, EUA, Mestre e Doutorado (PhD) pela UFPR.

Telefone 41 3075-2020

Telefone 41 3075-2018

Whatsapp 41 992691977

 



Deixe uma resposta

Cirurgia de Ceratocone em Curitiba